Comandante de campo na Bósnia condenado a 23 anos

O comandante de um campo de prisioneiros na Bósnia foi sentenciado a 23 anos de prisão por permitir que seus homens estuprassem, torturassem e matassem prisioneiros muçulmanos, executando o que a corte de crimes de guerra da ONU classificou de ?sadismo sistemático?. Dragan Nikolic, de 46 anos, não demonstrou emoção quando o juiz Wolfgang Schomburg leu a sentença, superior aos 15 anos recomendados pela acusação.O juiz disse que Nikolic deveria ficar preso pelo resto da vida, mas que o tribunal levaria em consideração sua confissão, arrependimento e cooperação. ?Não houve dia ou noite no campo sem que Dragan Nikolic e outros cometessem atos bárbaros?, leu Schomburg.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.