Comandante dos EUA diz que continuará pagando imprensa iraquiana

O comandante militar máximo dos Estados Unidos no Iraque, o general George Casey, disse em teleconferência feita do Iraque e retransmitida pelo Pentágono nesta sexta-feira, que o Exército americano continuará pagando a imprensa iraquiana para que publique artigos favoráveis às forças de segurança, referindo-se ao projeto iniciado este ano e desenvolvido pelo Departamento de Defesa com a ajuda da empresa de relações públicas Lincoln Group. No projeto, que foi divulgado em dezembro de 2005, soldados americanos escreviam, em inglês, artigos favoráveis às forças dos EUA que depois eram traduzidos para o árabe e entregues aos jornais iraquianos para que os publicassem em troca de dinheiro. Casey anunciou que essa prática será mantida depois que uma investigação realizada por um almirante da Marinha, ordenada pelo máximo comando militar dos EUA no Iraque, revelou que a força "estava operando dentro de sua autoridade e responsabilidade". Segundo ele, a investigação feita pelo almirante Scott van Buskirk será publicada nas próximas semanas e, de acordo com a mesma, serão feitas algumas "recomendações de procedimento". O alto militar negou ter dado ordens para suspender os pagamentos e que fará isso no curto prazo, mas ressaltou que o Exército continuará avaliando o programa à medida que evolua a situação na região. O militar também se referiu às possíveis mudanças no número de soldados americanos mobilizados no Iraque e informou que ainda não decidiu se recomendará ou não ao Pentágono e ao presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, reduzir esse número, mas deixou claro que o aumento da violência pode influenciar na sua decisão. Casey assegurou que a violência gerada não está fora de controle e que agora parece ter passado, mas opinou que todos devem "ter claro que os iraquianos continuam ameaçados por atentados cometidos por aqueles que farão o possível para minar o Governo eleito constitucionalmente, de união nacional e que representa todos os iraquianos"

Agencia Estado,

03 Março 2006 | 19h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.