Comandante dos EUA é acusado de ajudar detido no Iraque

O Pentágono anunciou nesta quinta-feira, 26, que o tenente-coronel americano William H. Steele, comandante do maior centro de detenção dos EUA no Iraque, em Camp Cropper, foi indiciado por nove acusações, incluindo de colaborar com o inimigo, por ter fornecido telefones celulares sem monitoração para detidos.Ele também responderá por posse não autorizada de documento sigiloso; confraternizar com a filha de um detido; manter relação imprópria com um intérprete e posse de vídeos pornográficos.Camp Cropper está localizada nas proximidades do aeroporto internacional de Bagdá e substituiu a prisão de Abu Ghraib, palco de um escândalo de abusos de prisioneiros, como o principal centro de detenção dos EUA na capital.Segundo fontes militares, Steele está detido no Kuwait e aguarda data de julgamento e finalização das investigações sobre seu caso.Ataques no IraqueUm ataque suicida com carro-bomba contra um posto de checagem do Exército iraquiano deixou nesta quinta-feira 10 mortos e 15 feridos. A explosão, às 9 horas da manhã na cidade de Khalis, 80 km ao norte de Bagdá, destruiu quatro veículos de civis que aguardavam na fila para passar pelo posto.Khalis fica próxima à província de Diyala, que nos últimos meses vive clima de tensão entre xiitas e sunitas, agravando a violência sectária no paísTambém nesta quinta, sete iraquianos foram mortos e 14 feridos em dois outros ataques com bombas, um deles contra o escritório do Partido Democrático do Curdistão, de Massoud Barzani, líder da região autônoma curda no Iraque. O ataque, promovido por dois homens-bomba, ocorreu na cidade de Zumar, 70 km a oeste de Mossul, capital da província de Ninevah.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.