Comandante dos EUA no Afeganistão pede afastamento

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afastou hoje o general Stanley McChrystal do comando da guerra no Afeganistão. Na Casa Branca, Obama disse que aceitou a demissão do militar e informou que McChrystal será substituído pelo general David Petraeus. Segundo o presidente, trata-se de uma mudança de pessoa, não de política.

AE-AP, Agência Estado

23 de junho de 2010 | 15h44

Em entrevista à imprensa, Obama disse que não tem nenhum conflito com a política de McChrystal para o Afeganistão e qualificou-o como "um dos melhores soldados" dos EUA. Apesar disso, reconheceu que os comentários feitos pelo militar e vazados na imprensa erodiram a sua confiança.

Em nota, McChrystal afirmou ter apresentado sua renúncia ao posto pelo desejo de ver o sucesso da missão. Ele divulgou a declaração pouco depois de Obama ter anunciado o afastamento. O general manifestou apoio à estratégia de Obama para a guerra no Afeganistão e se declarou profundamente comprometido com as forças militares, com as nações parceiras e com o povo afegão.

O afastamento de McChrystal ocorreu após o militar e seus auxiliares criticarem à administração norte-americana. O general pediu desculpas por seus comentários em entrevista à revista Rolling Stone, que escreveu um perfil do militar com o título de "The Runaway General" (O general em fuga). A revista só chega às bancas na sexta-feira, mas o texto foi divulgado no site da revista.

McChrystal é citado acusando o embaixador dos Estados Unidos no Afeganistão, Karl Eikenberry, de prejudicar seus trabalhos no país asiático. Auxiliares do general disseram, sob condição de anonimato, que Obama parecia não saber quem McChrystal era quando o indicou para supervisionar a guerra no início do ano passado. Com informações da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
guerramilitarafastamentoAfeganistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.