Comandante israelense diz que ofensiva pode durar "muito mais"

O comandante do Estado-Maior das Forças Armadas israelenses, general Dan Halutz, assegurou nesta quinta-feira que a ofensiva de seu país contra o vizinho Líbano "não terminará enquanto a segurança de Israel não for restaurada" e prometeu destruir o arsenal do grupo guerrilheiro Hezbollah, assim como sua capacidade militar."O conflito no norte pode durar muito mais", comentou Halutz em carta enviada a soldados e oficiais. "Estamos sendo testados nesse momento. Nossa força moral e nosso valor serão refletidos no Estado de Israel e em seus habitantes, assim como em sua capacidade de se levantar diante da ameaça no front", escreveu.Nos choques ocorridos nesta quinta-feira entre soldados de Israel e guerrilheiros do Hezbollah, pelo menos três militares israelenses ficaram feridos em dois episódios distintos. Enquanto isso, Israel voltou a promover bombardeios contra Beirute e outras cidades do Líbano nesta quinta-feira, um dia depois dos mais sangrentos ataques terem provocado a morte de quase 70 pessoas em solo libanês, entre elas um brasileiro.Mais de 330 pessoas já morreram em episódios de violência na região desde a quarta-feira da semana passada, quando ativistas do Hezbollah capturaram dois soldados israelenses na fronteira. Israel desencadeou então uma ampla operação militar contra o Líbano, provocando a morte de pelo menos 306 pessoas até o momento. Disparos de foguetes do Hezbollah e confrontos armados também já provocaram a morte de 29 pessoas no lado israelense.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.