'Comandante Jedi' ganhou fama na luta secreta contra a Al-Qaeda

Stanley McChrystal, Comandante das tropas dos EUA e da otan no Afeganistão

, O Estado de S.Paulo

23 de junho de 2010 | 00h00

Stanley McChrystal, o general que está a um passo de perder seu emprego no Afeganistão, ficou conhecido como o "comandante Jedi" nas Forças Armadas americanas. McChrystal, de 56 anos, só faz uma refeição por dia, para não ficar "lerdo", e dorme quatro horas por noite. Ele corre 11 quilômetros todas as madrugadas e depois entra em teleconferência às 6 horas.

O general atuou cinco anos no comando das famigeradas "Special Ops", a divisão de elite das Forças Armadas que atua em operações especiais ultrassecretas. Ele chefiou a equipe que capturou Abu Musab al-Zarqawi, um dos líderes da Al-Qaeda no Iraque.

Quem trabalhou com ele sabe que o general adora por a mão na massa. Ele frequentemente se junta aos soldados para as perigosas patrulhas a pé. No Iraque, montou uma rede de soldados altamente treinados para matar, um a um, os líderes da Al-Qaeda. O general sabia detalhes da biografia de cada um dos terroristas.

Já havia duas manchas no currículo de McChrystal antes da reportagem da Rolling Stone. Ele foi acusado de ajudar a encobrir a causa da morte do soldado Pat Tillman, herói do futebol americano que morreu em 2004 no Iraque vítima de fogo amigo. Além disso, McChrystal supervisionava uma prisão no Iraque envolvida em várias denúncias de tortura. / P. C. M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.