Comandante libanês pede a soldados que reajam a ataques de Israel

O general-de-Brigada Michel Suleiman,chefe do Estado-Maior libanês, pediu nesta segunda-feira aos soldados de seu paísque enfrentem qualquer incursão israelense que viole as fronteiras reconhecidas pela comunidade internacional. Suleiman fez essa convocação na localidade fronteiriça de Labune, no sul do país, junto à linha azul traçada pela ONU para garantira retirada israelense do sul libanês, em 2000. "Peço a vocês enfrentem as incursões israelenses e detenham tudo alterar a estabilidade e a segurança de nossa terra", acrescentou o militar. Suleiman indicou que o governo libanês pensa em colocar até 15 mil soldados no sul do país, equipados com armamento sofisticado. "Consideraremos que esse plano (de posicionamento do Exército) não incite a insurreição sectária no país", concluiu o general, em mensagem aparentemente dirigida aos milicianos xiitas do Hezbollah. O posicionamento do Exército libanês em Labune acontece um dia depois de o comandante-em-chefe da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (Finul), general Alain Pellegrini, assegurar que Israel fez um "avanço significativo" em relação a sua retirada do sul libanês, embora ela ainda não esteja concluída. Israel havia anunciado a retirada total de suas tropas das áreas que ocupou durante a guerra não declarada contra o Líbano, entre julho e agosto, embora tenha afirmado que mantinha um pequenocontingente na aldeia de Ghayar. "Espero que abandonem a região nesta semana para completar a retirada como estipula a resolução 1.701" da ONU, que pôs fim aos 34 dias de hostilidades entre Israel e o grupo xiita Hezbollah, acrescentou Peligrini.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.