Comando aliado critica vídeo com imagens de soldados mutilados

O comando das forças internacionais no Iraque condenou nesta terça-feira a divulgação de um vídeo mostrando imagens dos corpos mutilados de dois soldados americanos seqüestrados e assassinados em junho no Iraque."As imagens mostram a natureza brutal e bárbara dos terroristas", diz uma nota que reforça o compromisso das forças lideradas pelos Estados Unidos de "perseguir e levar os autores do crime à Justiça".O vídeo foi divulgado na internet pelo chamado Conselho dos Mujahedin (Combatentes Islâmicos), uma organização formada por oito grupos radicais islâmicos ativos no Iraque. Entre eles está o braço iraquiano da Al-Qaeda.A rede de televisão Al Jazira, que divulgou a mensagem, não exibiu a gravação "devido à crueza das imagens". Mas afirmou que nela o grupo afirma ter seqüestrado e assassinado os dois militares para "vingar a violação e morte de uma jovem iraquiana".Os dois soldados americanos foram seqüestrados em 16 de junho, após um ataque de insurgentes em Yusufiya, cerca de 30 quilômetros ao sul de Bagdá. Seus corpos foram encontrados vários dias depois na mesma cidade. Segundo o Exército dos EUA no Iraque, cinco soldados americanos foram acusados recentemente de violar e assassinar uma jovem iraquiana na localidade de Mahmudiya.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.