Comando israelense captura milicianos do Hezbollah

O comando israelense que interveio neste sábado no sul do Líbano deteve vários milicianos do grupo xiita Hezbollah, segundo o canal 10 da televisão israelense. As informações, porém, não foram confirmadas pelo Exército de Israel.Na última madrugada, o Exército israelense fez seu primeiro ataque no sul do Líbano desde que o cessar-fogo entrou em vigor, quando uma unidade transportada por helicóptero atacou uma base do Hezbollah perto da localidade Baalbek. Um soldado israelense morreu na operação, e dois ficaram feridos.Israel defendeu a intervenção de seu Exército alegando que teve que agir por conta própria porque o Exército libanês e as forças da ONU não estavam zelando para o cumprimento do acordo de cessar-fogo, no que diz respeito ao armamento do grupo xiita.O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores israelenses, Mark Regev, disse que "Israel tem direito de agir em defesa do princípio do embargo de armas", e que ações como a deste sábado serão "supérfluas" quando houver a ação do Exército libanês e das forças da ONU.A resolução 1701, aprovada no fim de semana passado pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas, não permite venda nem fornecimento de armas ou "material anexo" ao Líbano, exceto com a autorização do governo do país.Mas, se limita a pedir que o governo do Líbano "garanta suas fronteiras para evitar a entrada de armas sem seu consentimento", e pede à Força Interina das Nações Unidas no Líbano (Finul) que preste assistência a Beirute quando for solicitada.O primeiro-ministro libanês, Fouad Siniora, qualificou a operação do comando israelense de "flagrante violação" do cessar-fogo, enquanto o ministro da defesa libanês, Elias Murr, advertiu que seu país "revisará" o posicionamento do Exército no sul do país se "as agressões israelenses" continuarem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.