Comando militar da Turquia renuncia em impasse político

O comando militar da Turquia renunciou nesta sexta-feira, em meio a uma disputa política e a tensões com o governo do país, controlado pelo AK, o Partido da Justiça e Desenvolvimento, de raízes islâmicas. Mais cedo nesta sexta-feira, um tribunal turco acusou 22 suspeitos, entre os quais estão generais e oficiais de alta patente, de reserva e da ativa, de conduzirem uma campanha na internet para minar o poder do Estado. Militares e o governo buscaram um compromisso sobre a questão, que aparentemente não foi firmado.

AE, Agência Estado

29 de julho de 2011 | 14h01

O principal suspeito acusado é o ex-general Sahan Igsiz, cuja nomeação para comandante das forças terrestres, no ano passado, foi rejeitada pelo governo do primeiro-ministro Recep Tayyip Erdogan, do AK.

As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
TurquiapolíticamilitaresErdogan

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.