Combate à pobreza é resposta ao terror, diz Bush

O presidente norte-americano, George Bush, afirmou que os EUA vão liderar os países mais ricos na ajuda aos países mais pobres porque "a esperança é uma resposta ao terror".Em discurso na Conferência Internacional sobre Financiamento ao Desenvolvimento, da ONU, em Monterrey (México), Bush disse que "a História nos chama a um combate titânico, em que o que está em jogo não poderia ser mais elevado, porque estamos lutando pela própria liberdade?.?Estamos buscando objetivos grandes e dignos: tornar o mundo mais seguro e, ao fazer isso, torná-lo melhor", disse o presidente norte-americano. Entre os 171 países participantes da conferência, quase 50 chefes de Estado ou de governo assistiram ao discurso de Bush.O presidente dos EUA também defendeu sua nova política de concessão de ajuda aos países mais pobres, que condiciona o auxílio à abertura dos mercados, reformas políticas e ao combate à corrupção."Ao insistir em reformas, nós fazemos uma obra de compaixão", disse Bush, que defendeu "um novo pacto para o desenvolvimento, definido por mais prestação de contas.""Nós lutamos contra a pobreza porque a esperança é uma resposta ao terrorismo. Nós lutamos contra a pobreza porque a oportunidade é um direito e uma dignidade humana fundamentais. Nós lutamos contra a pobreza porque a fé o exige, e a consciência o pede. E nós lutamos contra a pobreza com a convicção cada vez maior de que progressos importantes estão ao nosso alcance", acrescentou.Antes de discursar, Bush reuniu-se com o presidente da França, Jacques Chirac. O encontro foi a portas fechadas e, segundo um porta-voz da Casa Branca, os dois discutiram terrorismo e o plano da Arábia Saudita para a paz no Oriente Médio, entre outros temas.Chirac também discursou na conferência da ONU e preferiu tratar da questão ambiental. Ele advertiu contra "o aquecimento global, que ameaça as condições de vida e nossas crianças".Chirac afirmou que "o Protocolo de Kyoto é o único meio com credibilidade para reduzir os gases que causam o efeito estufa: conclamo todos os países a ratificá-lo".Bush, por sua vez, manteve reuniões em separado também com o presidente do México, Vicente Fox, e o primeiro-ministro do Canadá, Jean Chrétien. Segundo um porta-voz norte-americano, os temas dessas reuniões foram como impedir a entrada de terroristas nos EUA por suas fronteiras norte e sul.O secretário de Estado, Colin Powell, e o ministro das Relações Exteriores do México, Jorge Castañeda, assinaram em Monterrey um acordo de 22 pontos para fortalecer a segurança na fronteira entre os dois países. O endereço oficial da conferência da ONU na Internet é www.un.org/esa/ffd.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.