Combate deixa 17 militantes mortos no Iêmen

A onda de violência que estourou na capital da Província sul do Iêmen neste domingo matou ao menos 17 extremistas ligados à Al-Qaeda e três soldados. Segundos fontes oficiais, os combates ocorreram perto de Zinjibar, capital da província de Abyan. A cidade, junto com outras do sul do país foi ocupada por militantes ligados à Al-Qeda nos últimos dois meses, desencadeando uma onda de violência política no Iêmen.

AE, Agência Estado

14 de agosto de 2011 | 18h55

Os Estados Unidos e a vizinha Arábia Saudita são os mais preocupados com a presença da Al-Qeda no Iêmen, grupo terrorista mais ativo na região. Militantes do grupo tomaram localidades próximas à Abyan e à capital Zinjibar logo após a partida do líder Ali Abdullah Saleh para a Arábia Saudita em junho. Saleh deixou o país para fazer um tratamento médico após ter sido atacado em seu palácio.

As forças do governo estão tentando dialogar com os militantes islâmicos das áreas do sul do país, mas as conversações avançaram pouco após semanas de combates.

O Iêmen tem sido palco de violências políticas desde que grandes demonstrações começaram em fevereiro pedindo a saída de Saleh após 33 anos no poder. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Iemenrevolta

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.