Combatentes dizem que ainda mantém reféns no Quênia

Combatentes islamitas do Shabab afirmaram nesta terça-feira que ainda estão mantendo algumas pessoas como reféns dentro de um shopping em Nairóbi. Desde sábado, quando invadiram e atacaram os frequentadores do local, os militantes têm enfrentado as forças de segurança do Quênia.

AE, Agência Estado

24 Setembro 2013 | 07h44

Na madrugada desta terça-feira, foram escutados tiroteios esporádicos no shopping Westgate, horas depois que autoridades disseram que tropas quenianas estavam no "controle" do imenso complexo de luxo.

"Os reféns que estavam sendo mantidos pelo mujahedin dentro de Westgate ainda estão vivos, aparentemente bastante perturbados, mas vivos", afirmou o Shabab em uma mensagem publicada em sua conta no Twitter.

Pelo menos 62 pessoas foram mortas e cerca de 200 ficaram feridas, mas ainda há temores de que o número de vítimas pode subir. Fontes de segurança disseram que "um ou dois" militantes foram cercados dentro ou perto de um cassino, em um dos andares superiores do complexo.

Insurgentes do Shabab da Somália reivindicaram o ataque, que começou ao meio-dia do sábado, quando militantes armados invadiram o complexo de luxo. Os rebeldes jogaram granadas e dispararam contra as pessoas com armas automáticas.

O Shabab também alegou que os combatentes no local ainda estavam resistindo. O grupo também se gabou do "incontável número de corpos ainda espalhados no interior do shopping".

Uma série de contas no Twitter administradas pelo Shabab foi fechada desde o início do ataque, mas os militantes têm sido rápidos em abrir novos perfis no site. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
quêniaatentadoreféns

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.