Combatentes e governo fazem cessar-fogo hoje no Iêmen

Um mediador entre as tropas do governo do Iêmen e grupos armados que querem a renúncia do presidente Ali Abdullah Saleh, afirmou que um cessar-fogo temporário está em vigência para permitir a realização de negociações depois de cinco dias de fortes confrontos que deixaram 124 mortos.

AE/AP, Agência Estado

28 de maio de 2011 | 09h47

Segundo o mediador, os dois lados estão discutindo os termos que vão determinar que os combatentes leais ao xeque Sadeq al-Ahmar abandonem ao menos nove ministérios do governo que foram ocupados durante as lutas desta semana.

Al-Ahmar chefia o Hashid, a mais poderosa confederação tribal do Iêmen. Os combatentes iniciaram os ataques depois que forças leais a Saleh tentaram destruir um centro de operações de Al-Ahmar no centro de Sanaa, na segunda-feira.

O cessar-fogo vai expirar na tarde deste sábado, segundo o mediador, que falou sob condição de anonimato. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Iêmencessar-fogonegociações

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.