Combatentes voltam a atacar cidade sitiada sob poder de Khadafi

Forças do governo tomaram vale que chega em Bani Walid, onde tiros e explosões foram ouvidos

BBC Brasil, BBC

16 Setembro 2011 | 08h24

Forças do governo interino da Líbia voltaram a atacar a cidade de Bani Walid, um dos poucos locais que ainda estão sob o controle do líder deposto do país, coronel Muamar Khadafi.

 

Veja também:
forum OPINE: 
Onde se esconde Kadafi?
especialESPECIAL: Quatro décadas de ditadura na Líbia
lista ARQUIVO: ‘Os líbios deveriam chorar’, dizia Kadafi

 

Tiros e explosões foram ouvidos nas montanhas e vales que circundam a cidade, que fica 180 quilômetros ao sul de Trípoli.

 

Agências de notícias informaram que os combatentes leais ao Conselho Nacional de Transição (CNT) tomaram um vale que dá acesso à cidade. Bani Walid está cercada há duas semanas.

Na última semana, o CNT disse ter chegado muito perto de tomar a cidade, mas os combatentes tiveram de recuar devido à resistência.

São poucas as localidades que ainda permanecem fieis a Khadafi. Além de Bani Walid, o líder deposto controla também as cidades de Sabha, no sul, e Sirte, onde Khadafi nasceu.

Na quinta-feira, os combatentes venceram a defesa ao sul e à oeste de Sirte, ficando a 8 quilômetros do centro.

No entanto, eles recuaram para tratar os mortos e feridos nos combates, nos quais atiradores de elite e uma unidade especial da segurança de Khadafi se posicionaram em edifícios.

Pelo menos quatro combatentes anti-Khadafi morreram e sete ficaram feridos.

Mas um porta-voz militar em Misrata, que fica a 200 quilômetros em direção ao oeste, disse que os mortos eram 11, e os feridos, 34.

Articulação internacional

Na sexta-feira, o CNT deve enviar uma delegação para o vizinho Níger, para onde fugiram parentes de Khadafi, na tentativa de recuperar ouro e dinheiro levados, acredita-se, durante a fuga de Trípoli.

Pelo menos 36 parentes ou pessoas da comitiva de Khadafi fugiram para o Níger e para a Argélia desde que o CNT tomou Trípoli, no mês passado.

O presidente do conselho, Mustafa Jalil, disse que pedirá a esses países que entreguem os indivíduos procurados pelo Tribunal Penal Internacional.

A instituição indiciou Khadafi, seu filho Saif al-Islam e o ex-chefe da inteligência de seu regime por crimes contra a humanidade.

Depois da visita do presidente francês, Nicolas Sarkozy, e do premiê britânico, David Cameron, as autoridades interinas da Líbia recebem nesta sexta-feira o primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan.

Ele está na capital líbia, Trípoli, para apoiar a mudança de regime no país, além de expressar a influência regional de Ankara na promoção da democracia.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.