Combates deixam pelo menos 22 mortos em Mossul

O governo de Mossul, cidade 300 quilômetros ao norte de Bagdá, decretou toque de recolher depois que ataques coordenados de rebeldes e confrontos entre policiais e dezenas de guerrilheiros mascarados causaram a morte de 14 civis e oito insurgentes, e ferimentos em 26 pessoas. O comércio baixou as portas e as ruas dessa cidade de 3 milhões de habitantes ficaram desertas.Os combates na região central - dos mais violentos desde a invasão americana, em março de 2003 - podem ser uma indicação de que a guerrilha que luta contra a ocupação tenta firmar-se no norte, estendendo sua ação além de Bagdá e do chamado triângulo sunita, a oeste da capital. Mossul também foi alvo de atentado contra uma igreja cristã, no domingo.A violência começou por volta do meio-dia, quando rebeldes se espalharam por várias ruas. Ao tentar assaltar um banco, foram repelidos pelas forças de segurança locais, disse Hazem Jalawi, porta-voz do governo provincial. Um outro grupo atacou uma delegacia de polícia com armas leves e granadas propelidas por foguetes."Um grupo de homens começou a distribuir armas à população e a incitá-la a combater os americanos. Recebemos uma mensagem da guerrilha pedindo que nos retirássemos e não nos envolvêssemos nos combates", relatou o oficial de polícia Wael Ismail Ahmed. Segundo o governo, os militares dos EUA estavam recolhidos a suas bases na hora do ataque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.