Zohra Bensemra/Reuters
Zohra Bensemra/Reuters

Combates e disparo matam 56 civis sírios em Alepo, diz oposição

Segundo grupo sírio, ataques ocorreram durante protesto contra regime de Assad

AE, Agência Estado

10 de agosto de 2012 | 15h34

BEIRUTE - Tropas do governo sírio bombardearam posições dos insurgentes a partir do ar e do solo no norte da cidade de Alepo nesta sexta-feira, 10, enquanto manifestantes saíram às ruas das cidades sírias em protesto contra o regime, pedindo para a comunidade internacional entregar armamentos pesados aos rebeldes. Os cadáveres de pelo menos 45 homens foram encontrados em um parque em Salaheddine, bairro tomado pelas forças de Bashar Assad.

Veja também:

link EUA impõem sanções contra a petrolífera estatal da Síria

link Rebeldes sírios voltam a enfrentar o Exército em bairro estratégico de Alepo

Outros 11 civis sírios, entre eles duas crianças, foram mortos por bombardeios do governo em outros bairros de Alepo. As informações são dos Comitês de Coordenação Local, grupo da oposição síria. "Os caças e os helicópteros estão matando a gente, eles estão nos céus quinze horas por dia", disse Mohammed Hassan, ativista sírio em Salaheddine. "Nós só temos rifles kalashnikovs para lutar contra tanques e caças MiG-21", disse Hassan.

Os rebeldes de Alepo, cidade com 2,5 milhões de habitantes, fizeram um apelo desesperado por armas pesadas. Na quinta-feira, eles admitiram a retirada do bairro de Salaheddine e a fuga para os bairros vizinhos de Saif al Dawla e Bustan al-Qasr, em direção à cidade antiga.

Segundo informações da agência italiana Ansa, os 11 civis foram mortos enquanto aguardavam em uma fila para comprar pão na porta de uma padaria, em um bairro oriental de Alepo, quando foram atingidos por um obus. 

Com AP e Ansa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.