Combates matam 18 milicianos e 18 soldados paquistaneses

Ofensiva militar é uma resposta a um ataque contra um posto de segurança na área de Shawal

Efe,

18 de setembro de 2007 | 03h31

Pelo menos 18 milicianos pró-talebans e 18 soldados paquistaneses morreram na segunda-feira à noite em combates na região tribal do Waziristão do Norte, perto da fronteira com o Afeganistão, informaram diversas fontes. Segundo fontes do governo de Miran Shah, a principal cidade do Waziristão do Norte, 18 combatentes apoiados pelo movimento taleban morreram numa ofensiva militar. A ação foi uma resposta a um ataque contra um posto de segurança na área de Shawal. O porta-voz do Exército, Waheed Arshad, informou que os simpatizantes do taleban tinham atacado horas antes uma base militar em Shawal, na fronteira entre as regiões Waziristão do Norte e Waziristão do Sul. Os milicianos haviam utilizado obuses e armas de fogo. Um dos comandantes da base informou a morte de 14 rebeldes durante o ataque. Arshad admitiu que perdeu o contato com 16 soldados. Alguns oficiais informaram a morte de 18 militares. A fronteira entre Waziristão do Norte e Waziristão do Sul, no cinturão tribal paquistanês, é palco de confrontos entre o Exército e rebeldes desde a semana passada. Arshad informou na quinta-feira passada da morte de mais de 50 milicianos e pelo menos cinco soldados em vários dias de combates. Os Estados Unidos afirmam que na região há ativistas da rede terrorista Al Qaeda.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãocombatesTaleban

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.