Combates no aeroporto de Trípoli deixaram 47 mortos em uma semana

Em razão dos combates entre milícias líbias, aviões e instalações do aeroporto foram danificados

O Estado de S. Paulo

21 de julho de 2014 | 10h36

TRÍPOLI - Pelo menos 47 pessoas morreram e 120 ficaram feridas em uma semana de violentos enfrentamentos entre duas milícias armadas que lutam pelo controle do aeroporto de Trípoli, informou nesta segunda-feira, 21, o Ministério de Saúde da Líbia.

A maioria das pessoas morava no bairro de Kasr Ben Ghashir, que fica próximo ao aeroporto, e morreram após suas casas serem atingidas por foguetes. Dois mortos são combatentes de milícias da cidade de Misrata, segundo o ministério.

O aeroporto internacional de Trípoli está fechado há uma semana, quando começaram os ataques diários entre as milícias islamitas de Misrata (a 200 quilômetros de Trípoli) e Zintan (a 170 quilômetros de Trípoli), que controlam o aeroporto há três anos.

As atividades no aeroporto foram suspensas e, segundo fontes aeroportuárias, várias instalações e 15 dos 20 aviões civis da companhia aérea nacional foram danificados. Para compensar o fechamento do aeroporto as autoridades líbias retomaram os voos em dois pequenos aeroportos do país, em Misrata e Mitiga.

Os combates registrados durante a semana causaram preocupação na comunidade internacional, levando as Nações Unidas a esvaziarem sua missão no país. Além disso, 13 mil cidadãos filipinos que viviam na Líbia deixaram o país.

As autoridades de transição líbias fracassaram na missão de dissolver e desarmar os grupos rebeldes que atuam fora da lei, quase três anos depois da queda de Muamar Kadafi, em 2011. /EFE

Tudo o que sabemos sobre:
LíbiaTrípoli

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.