Combates no Iêmen provocam mortes de 17 membros da Al-Qaeda e 3 soldados

Fontes militares informaram que os confrontos ocorreram após milicianos da Al-Qaeda atacarem milicianos

Efe,

06 de junho de 2012 | 17h12

SANA - Pelo menos 17 supostos membros da rede terrorista Al-Qaeda no Iêmen e três soldados desse país morreram nesta quarta-feira, 6, em combates na província de Abian, cenário de uma ofensiva antiterrorista do Exército nacional há alguns dias.

Veja também:

link Milhares estão em meio a combates no Iêmen, diz Cruz Vermelha

Fontes militares informaram que os confrontos ocorreram na região de Al Kud depois dos milicianos da Al-Qaeda atacarem as unidades no local. Entre os soldados mortos estão um coronel e dois recrutas, enquanto outros 14 militares ficaram feridos, segundo as informações.

Em Abian, da mesma forma que em outras províncias do sul do Iêmen, o grupo terrorista conta com campos de treinamento e controla a maioria das localidades, o que desencadeou combates com o Exército, provocando a morte de centenas de pessoas neste ano.

A ofensiva, lançada há quase um mês, inclui ataques aéreos. Diante desse cenário, os confrontos deterioraram a situação humanitária em Abian, onde os alimentos e combustível estão escassos.

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) alertou nesta quarta que dezenas de milhares de iemenitas necessitam urgentemente de ajuda humanitária na província de Abian, e que se não for fornecida poderia levar ao deslocamento de 100 mil pessoas.

Em outra ocorrência, dois civis morreram com a explosão de uma bomba no carro em que transitavam por uma estrada no sul do país. Segundo fontes iemenitas, o atentado foi realizado pela Al-Qaeda.

O grupo terrorista aumentou nos últimos meses sua atividade no Iêmen, país que vive uma situação de instabilidade desde janeiro de 2011, quando iniciaram os protestos populares contra o presidente Ali Abdullah Saleh, obrigado a abandonar definitivamente o poder em fevereiro.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.