Combates no sul do Afeganistão matam cerca de 70 talebans

Dezenas de rebeldes ultra-integristas talibãs, entre 60 e 72, morreram em confrontos com as Forças de Segurança afegãs e tropas da Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf), no sul do Afeganistão, anunciou neste domingo a Isaf em comunicado.Os confrontos começaram na tarde de sábado no distrito de Panjwayee, na conflituosa província de Kandahar e continuaram até este madrugada.Entre os militares, no entanto, não foram registradas baixas, segundo o comunicado. Por sua parte, um suposto porta-voz taleban, Qari Yousif Ahmadi afirmou que durante o tiroteio seus homens assassinaram 30 agentes afegãos e da Isaf e que 12 milicianos perderam a vida.O porta-voz de defesa afegão, general Zahir Azimi, disse que um soldado do Exército nacional morreu no confronto e outros cinco militares teriam ficado feridos.Horas antes, o chefe da administração do distrito, Raaz Muhammad, havia dito que os agentes recuperaram os cadáveres de 34 rebeldes no povoado de Panjwayee e os de outros 11 em uma área próxima à dos confrontos. Outros 25 cadáveres, segundo ele, foram levados pelos rebeldes que fugiram.Em outros incidentes ocorridos em diversas partes do país ontem, sete agentes afegãos, quatro soldados estrangeiros e quatro rebeldes talibãs morreram.Na província de Nimruz, no sudoeste do país, seis policiais afegãos e quatro supostos talebans morreram quando um grupo de rebeldes atacou um posto policial, o que foi seguido de um tiroteio que durou uma hora.Três membros da coalizão liderada pelos Estados Unidos no país morreram e outros três ficaram feridos em um confronto com rebeldes talebans no distrito de Pech, na província de Kunar, quando um veículo da força internacional passou sobre uma mina e foi atacado por um grupo de rebeldes, informou neste domingo o comando americano em um comunicado.Por outro lado, a Isaf também informou sobre a morte de um soldado americano e um afegão em um tiroteio na província de Uruzgan, causando ferimentos em outros três membros da coalizão americana.Atualizado às 10h05

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.