Combates no sul do Afeganistão matam pelo menos 9 talebans

Um ataque aéreo promovido pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) na manhã desta quarta-feira destruiu um local onde estaria escondido um suposto líder da milícia fundamentalista islâmica Taleban acusado de promover uma onda de violência no sul do Afeganistão. Pelo menos nove pessoas morreram no bombardeio, informaram autoridades locais.Comandantes da Otan acreditam que o líder taleban responsável pela captura da cidade de Musa Qala tenha morrido no ataque. Além de ter tomado a cidade em 1º de fevereiro, ele também estaria por trás de um ataque a uma represa em Kajaki, perto de Musa Qala."Nós removemos mais um líder inimigo taleban que não mais representará uma ameaça à paz e à segurança para o povo afegão e seu futuro", defendeu a tenente-coronel Angela Billings, porta-voz da Otan.O alvo do bombardeio foi um suposto esconderijo num vilarejo próximo de Musa Qala. Nove pessoas morreram. Segundo Ghulam Nabi Malakhail, comandante da polícia local, todas as vítimas do ataque eram guerrilheiros do Taleban que se refugiaram ali na noite passada.Wali Mohammad, um morador de Musa Qala, disse por telefone que o bombardeio deixou 20 mortos. A Otan não informou quantas pessoas teriam morrido no ataque e não foi possível checar a informação junto a fontes independentes por a área é muito remota.Malakhail disse não dispor de informações sobre civis mortos no ataque, mas um líder tribal de Musa Qala denunciou que integrantes de sua família moravam no local atacado e perderam a vida no bombardeio.Billings alegou que o galpão atacado era "um alvo militar legal e legítimo" e, segundo a avaliação da Otan, não houve "danos colaterais". No jargão militar, "danos colaterais" são alvos civis atingidos por acidente ou por engano durante uma guerra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.