Combates tribais matam 41 no Paquistão

Há pelo menos 95 feridos; choques entre tribos já dura 25 dias

Efe,

31 de agosto de 2008 | 06h59

Pelo menos 41 pessoas morreram neste domingo, 31, e outras 95 ficaram feridas em novos combates entre tribos rivais na demarcação paquistanesa de Kurram, na fronteira com o Afeganistão. Segundo a cadeia privada Geo TV, os confrontos entre estas tribos, que pertencem aos ramos xiita e sunita do Islã, continuam abertos, após 25 dias de choques ininterruptos. Os feridos foram levados para vários hospitais próximos para receber os cuidados oportunos. Além disso, os moradores da região estão sofrendo escassez de alimentos e remédios já que a estrada principal permanece fechada. Nos confrontos as tribos "tori" e "bangash" trocaram fogo de artilharia e de morteiro e utilizaram armas automáticas. Enquanto isso, os "tori" ocuparam um dos quartéis-gerais de seus rivais em Bugzai, acrescentou Geo. A cadeia Dawn informou no sábado que a tribo "tori" tinha anunciado um cessar-fogo unilateral por causa do início do Ramadã (mês de jejum), que está a ponto de começar. Com estas novas vítimas, já são mais de 500 as pessoas que perderam a vida durante os choques, segundo meios de imprensa paquistaneses.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãoconfrontos tribais

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.