Combinação de fatores causou a queda do voo 447

A investigação francesa sobre a queda do avião da Air France no Oceano Atlântico, em 2009, concluiu que uma combinação de erros de pilotos mal treinados e problemas no equipamento causaram a tragédia, que matou todas as 228 pessoas a bordo.

AE, Agência Estado

05 de julho de 2012 | 11h47

O relatório final sobre o voo 447, que ia do Rio de Janeiro para Paris, lista "fatores técnicos e humanos" que estiveram por trás do acidente. Após três anos de investigação, o Bureau d''Enquêtes et d''Analyses (BEA), agência de segurança da aviação civil da França, recomenda melhor treinamento de pilotos e regras de certificação de aviões mais estritas.

Em uma decisão fatal, diz a agência, um dos copilotos empinou o nariz do Airbus 330 para cima quando o avião começou a perder sustentação - em vez de para baixo, como deveria - por causa de dados errôneos sobre a posição do avião vindos dos sensores. A tragédia aconteceu durante a noite, em meio a uma tempestade.

O investigador chefe do caso, Alain Bouillard, disse que os pilotos não entenderam que o avião estava em estol (perdendo sustentação). Ele afirmou que apenas uma tripulação experiente e com claro entendimento da situação poderia ter estabilizado o avião naquelas condições. "Nesse caso, a tripulação estava em um estado de perda quase total do controle", afirmou Bouillard.

Robert Soulas, pai de uma das 228 vítimas, afirmou que os investigadores franceses disseram que o sistema indicou a "informação errônea" de que o avião estava mergulhando, "e, portanto, para compensar, o piloto acelerou para faze-lo subir". O Airbus, no entanto, estava em estol. Nesta situação os pilotos são instruídos a manobrar de forma que o nariz do avião aponte para baixo. Mas, como pensou que estava mergulhando, piloto apontou a aeronave para cima.

Barbara Crolow, uma alemã que perdeu o filho no acidente, disse que está "desapontada", pois acha que o relatório foca demais no erro humano. O piloto Gerard Arnoux defendeu as ações dos comandantes do Air France: "Um piloto normal, em uma companhia aérea normal, segue os sinais do sistema, que diz para ir para esquerda, direita, para cima ou para baixo". As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.