Começa 17ª sessão do julgamento de Saddam

O Tribunal Especial iniciou nesta quarta-feira a 17ª sessão do julgamento, iniciado em 19 de outubro do ano passado, do ex-presidente iraquiano Saddam Hussein e sete altos funcionários de seu regime. O ex-ditador (1979-2003) e seus sete colaboradores são acusados, entre outros crimes, pelo massacre de 143 xiitas na cidade de Dujail em 1982. Segundo fontes judiciais, o presidente do tribunal, o juiz curdo Rauf Abderrahman, deve ouvir hoje Barzan Al-Tikriti, meio-irmão de Saddam, sobre acusações feitas por testemunhas durante o julgamento. Al-Tikriti, ex-chefe dos serviços de inteligência iraquianos, tem criticado insistentemente o tribunal e, nas últimas sessões do julgamento, chegou a discutir com o juiz várias vezes. Na última sessão do julgamento, o chefe do Tribunal Revolucionário durante o governo de Saddam, Awad Bandar, defendeu a execução em 1982 de 143 xiitas após uma suposto tentativa de assassinato contra o ex-ditador em Al Duyail, ao norte de Bagdá. Bandar disse ao tribunal que ordenou a execução dos xiitas "de acordo com provas concretas e segundo suas confissões". O atentado contra Saddam, do qual ele escapou ileso, foi tramado pelo partido xiita Dawa no verão de 1982.

Agencia Estado,

15 Março 2006 | 06h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.