Começa amanhã fase de defesa do julgamento de Saddam

O Supremo Tribunal Penal do Iraque, que julga Saddam Hussein e sete de seus assessores pelo assassinato de 148 xiitas em 1982, ouvirá na segunda-feira a defesa dos acusados, na última parte do julgamento, iniciado há nove meses.Na audiência mais recente, realizada em 19 de junho, o promotor-geral do Tribunal, Jaafar al-Moussawi, pediu a condenação a morte de Saddam, de seu meio-irmão Barzan Hassan al-Tikriti, do ex-vice-presidente Taha Yassin Ramadan e do ex-chefe do Tribunal Revolucionário Awad Bandar. Todos são considerados responsáveis pela morte de 148 xiitas na aldeia de Dujail, 60 quilômetros ao norte de Bagdá, no ano de 1982."Segundo o artigo 421 do Código Penal iraquiano, o escritório do promotor solicita a pena máxima contra os acusados Saddam Hussein, Barzan al-Tikriti, Taha Yassin Ramadan e Awad Bandar por sua responsabilidade criminal", disse al-Moussawi em sua intervenção final.No entanto, Moussawi pediu que a pena máxima de outros três acusados - Ali Dayih, Abdallah Ruwayyid e seu filho Mizhar Ruwayyid - fosse trocada por outras de prisão, uma vez que eles cumpriram ordens superiores.Na quarta-feira, o primeiro-ministro iraquiano, Nouri Al Maliki, diise que Saddam Hussein será executado "pouco depois da sentença do tribunal". Maliki acrescentou que o julgamento "não durará muito tempo e que sua execução pelos crimes que cometeu virá pouco depois da sentença do tribunal".Além disso, o deposto presidente iraquiano e vários de seus ex-colaboradores serão julgados a partir de 21 de agosto por "genocídio" contra o povo curdo, informou o Supremo Tribunal Penal iraquiano.As acusações se referem aos ataques, inclusive com armas químicas, lançados contra o Curdistão iraquiano em 1987 e em 1988, quando milhares de curdos foram assassinados e desapareceram.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.