Começa auditoria do referendo venezuelano

Autoridades venezuelanas começaram a auditar 150 urnas, com o objetivo de apurar denúncias de fraude feitas pela oposição, derrotada no domingo em um referendo que pretendia cancelar metade do mandato do presidente Hugo Chávez. Observadores comentam que a auditoria deverá terminar em um ou dois dias. Especialistas da Organização dos Estados Americanos (OEA) e do Centro Carter acompanham a auditoria.O ex-presidente americano Jimmy Carter e o secretário-geral da OEA, Cesar Gaviria, endossaram os resultados da votação de domingo, mas propuseram a auditoria para aplacar as queixas sobre fraude. Por sua vez, a oposição recusou-se a participar da auditoria. Segundo líderes anti-Chávez, a metodologia da auditoria é "inadequada" e "não detectará a fraude". A oposição queria escolher as urnas a serem auditadas, assim como queria analisar uma quantidade maior de votos.Greg Albo, um observador eleitoral canadense, foi citado por uma agência de notícias dizendo que a alegação de fraude "é parcialmente sustentada por um setor forte e fanático da política venezuelana que estava no poder desde a década de 40 e ainda se recusa a aceitar normas mais democráticas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.