Carlos Garcia Rawlins/Reuters
Carlos Garcia Rawlins/Reuters

Começa contagem regressiva para pagamento da dívida da PDVSA

Governo venezuelano tem de pagar entre hoje e o dia 2 títulos e juros da dívida da empresa que totalizam quase US$ 6,1 bilhões

O Estado de S. Paulo

28 Outubro 2015 | 06h00

O governo da Venezuela e a PDVSA, a estatal do petróleo, tem de pagar entre hoje e o dia 2 títulos e juros da dívida da empresa que totalizam quase US$ 6,1 bilhões. Analistas do mercado financeiro estimam que, apesar da grave crise econômica e da baixa no preço do petróleo, ainda reste no caixa chavista recursos para saldar  a dívida. Segundo o Banco Central Venezuelano, as reservas em moeda forte do país são estimadas em US$ 15 bilhões.

Ao longo do ano, o governo venezuelano restringiu ainda mais a oferta de dólares à iniciativa privada para conter uma escassez de moeda forte que se arrasta desde 2013 e se agravou a partir da metade do ano passado, quando o preço do barril do petróleo caiu à metade, diminuindo a receita em dólar do país.

Economistas acreditam que a situação financeira do país se agravará ainda mais depois das eleições, uma vez que o chavismo deve ampliar a importação de alimentos, remédios e bens de primeira necessidade para diminuir a sensação de escassez da população e beneficiar candidatos do governo.

Se a dívida não for quitada, a PDVSA pode sofrer sequestro de ativos, entre eles refinarias e petroleiros. 

Mais conteúdo sobre:
Venezuela PDVSA

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.