Começa em Teerã polêmica conferência sobre o Holocausto

Uma conferência sobre o Holocausto foiinaugurada nesta segunda-feira em Teerã com a participação de cerca de 150especialistas e pesquisadores de 30 países, em meio a críticas devários países ocidentais. O ministro de Assuntos Exteriores iraniano, Manouchehr Mottaki, afirmou na sessão inaugural que o encontro "não procura negar ouconfirmar o Holocausto, mas permitir que os intelectuais seexpressem livremente sobre este assunto". "Com esta iniciativa, o Irã prepara a possibilidade para que osintelectuais e os pesquisadores possam refletir com liberdade sobreo Holocausto, já que no Ocidente, que pretende defender asliberdades, não existe a possibilidade de falar sobre esse tema",disse Mottaki, segundo a televisão estatal. A conferência, intitulada "O Holocausto, a visão internacional",terá dois dias de duração na sede do Ministério de AssuntosExteriores, com a presença de 150 especialistas e pesquisadoresInternacionais. O fórum é organizado sob o patrocínio do presidente do Irã, oultraconservador Mahmoud Ahmadinejad, que em dezembro passadoqualificou o Holocausto de mito e sugeriu transferir o Estado deIsrael à Europa ou aos Estados Unidos. O governo dos EUA criticou o fórum como novo "ato vergonhoso" dasautoridades iranianas. Já o Ministério de Exteriores alemão convocou nasexta-feira passada o representante diplomático do Irã no país paraadvertir-lhe de que a Alemanha condenará qualquer tentativa de negaro Holocausto durante a conferência de Teerã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.