Começa julgamento do ex-presidente da Livedoor

O ex-presidente da Livedoor, Takafumi Horie, se declarou nesta segunda-feira inocente na primeira audiência de seu julgamento por falsificação de dados e fraude contábil da empresa de informática japonesa.Horie, de 33 anos, esteve no centro de um dos escândalos mais famosos da Bolsa de Tóquio em janeiro, quando a fraude gerou o caos nos mercados e perdas históricas de até 400 pontos no índice Nikkei."Nunca cometi tais crimes, nem ordenei que eles fossem cometidos", afirmou Horie sobre sua suposta violação da Lei de Valores e Intercâmbios.Esta foi a primeira aparição de Horie em público desde que foi colocado em liberdade condicional, em 27 de abril, após permanecer em prisão preventiva desde 23 de janeiro.Horie e outros quatro diretores são acusados de manipular os dados financeiros para elevar o valor da Livedoor na Bolsa de Tóquio, mostrando um lucro de 5 bilhões de ienes (US$ 42,7 milhões) para 2004, quando na realidade a firma tinha tido um prejuízo de 300 milhões de ienes (US$ 2,5 milhões).Os ex-executivos da Livedoor também são acusados de divulgar informação financeira falsa em 2004, durante a aquisição de um editorial pela subsidiária Livedoor Marketing, a partir da ValueClick Japan.As ações da Livedoor, símbolo do comércio pela internet no Japão, deixaram de cotar na bolsa em 14 de abril.Antes de o escândalo vir à tona, Horie tinha se transformado no modelo de uma nova classe de empresários dispostos a enriquecer rapidamente sem respeitar as rígidas regras do mundo dos negócios japoneses.Em 1996, quando ainda estava na Universidade, Horie desafiou o mundo das finanças japonesas com sua empresa "Living on the Edge" e um método arriscado baseado no fracionamento de ações para gerar novas compras de valores.Em abril de 2003, a "Living on the Edge" se transformou em "Edge" e, quase um ano depois, em fevereiro de 2004, passou a ser chamada de Livedoor.Enquanto o capital de fundação de sua primeira firma foi de 6 milhões de ienes (US$ 50 mil), dez anos depois, com 2.500 empregados e 44 filiais, seu valor era de 600 bilhões de ienes (US$ 5,12 bilhões).Além do site www.livedoor.co.jp, a Livedoor possuía 50 negócios, com assessorias empresariais e informáticas, editoriais e firmas de compra e venda de ações.Espera-se que a sentença seja divulgada em março, segundo fontes judiciais. Dos cinco acusados, Horie é o único que continua negando as acusações.Nos procedimentos preparatórios do julgamento, Horie negou que tivesse alterado os dados financeiros da Livedoor e divulgado informação falsa, segundo os advogados de defesa."O conteúdo das acusações é malicioso", explicou o ex-presidente da Livedor. Um dos advogados descreveu Horie como "um boxeador que está pronto para entrar no ringue".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.