Começa o julgamento de acusado pelo 11 de setembro

Aos gritos de "Eu sou a Al-Qaeda", o conspirador confesso da Al-Qaeda Zacarias Moussaoui - o único radical islâmico preso nos EUA acusado de envolvimento com os atentados de 11 de setembro de 2001 - foi removido da sala de uma corte federal em Alexandria, nesta segunda-feira, após o início da seleção dos jurados que decidirão se ele deve ser condenado à pena morte ou à prisão perpétua. O júri pode levar um mês para ser formado, um período extraordinariamente longo mas típico neste caso que há quatro anos se estende nas cortes americanas.O membro da Al-Qaeda - sempre uma figura volátil nos julgamentos - entrou em uma discussão com a juíza distrital dos EUA Leonie M. Brinkema logo no primeiro minuto dos procedimentos. "Eu quero ser ouvido" e "essa corte é um circo" foram alguns dos insultos que Moussaoui proferiu à juíza. E, voltando-se para seus próprios advogados, disse: "Essas pessoas não me representam".Moussaoui deixou a sessão com as mãos na cabeça, sem oferecer resistência. Menos de uma hora depois ele foi trazido de volta para a sala do júri, quando um novo grupo de prováveis jurados adentrou o recinto. Moussaoui aproveitou para reiterar as reclamações contra seus advogados. "Eu não quero que eles me representem", disse. Mais uma vez a juíza Brinkema pediu a retirada do suspeito da sala.As reações virulentas do acusado aconteceram quando o primeiro grupo de candidatos a jurados na fase de vida ou morte do processo de Moussaoui se reuniram para responder questões sobre suas crenças religiosas, sentimentos em relação os muçulmanos e árabes e suas reações em relação aos ataques de 11 de setembro.O questionário será usado para que a juíza e os advogados possam selecionar 12 jurados e seis substitutos de um total de 500 pessoas do Estado da Virgínia do Norte. A lista final de questões foi definida por Brinkema, que escolheu as perguntas em uma lista de 89 questões propostas pelos promotores e 306 recomendadas pela defesa.A expectativa é de que os acertos estejam prontos em um mês, para que o julgamento comece no dia 6 de março. O julgamento pode durar de um a três meses.A juíza disse aos candidatos que eles não terão flexibilidade na sentença, a não ser decidir se Moussaoui deve ser condenado à pena de morte ou à prisão perpétua. Moussaoui é a única pessoa acusada nos EUA por conexões com os ataques de 11 de setembro de 2001. Na ocasião, cerca de 3 mil americanos morreram.Em abril do ano passado, Moussaoui assumiu a culpa por seis acusações de conspiração, indo contra a recomendação de seus advogados. Ele admitiu saber dos planos da Al-Qaeda de jogar aviões contra prédios proeminentes dos EUA e concordou em viajar para o país para participar do plano.Mas durante os ataques terroristas, Moussaoui estava preso em Minnesota sob acusações da imigração. Ele teria levantado suspeitas quando participava de aulas de pilotagem de Boeings 747. Embora soubesse dos planos de atacar prédios americanos, Moussaoui jurou que não saber nada de específico sobre os planos para o 11 de setembro.O francês descendente de marroquinos contou à juíza que teria sido escolhido por Osama Bin Laden para conduzir um 747 contra a Casa Branca, como parte de um plano alternativo caso os EUA se recusassem a soltar o Xeque Omar Abdel Rahman. O clérigo está preso em regime perpétuo por crimes relacionados ao atentado a bomba contra o World Trade Center em 1993.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.