Começa terceira eleição no Kosovo desde a guerra

Cerca de 1,5 milhão de eleitores poderão escolher 100 dos 120 deputados do Parlamento da província

EFE

17 de novembro de 2007 | 06h13

As urnas se abriram nesta sábado no Kosovo para a terceira eleição legislativa desde a guerra de 1999, para renovar o Parlamento, que nas próximas semanas poderá declarar a independência da província sérvia, habitada por uma maioria albano-kosovar. Cerca de 1,5 milhão de eleitores poderão escolher, por um complicado sistema proporcional, 100 dos 120 deputados do Parlamento da província. As outras 20 cadeiras são reservadas para as comunidades minoritárias, 10 delas para os sérvios. No entanto, os sérvios já anunciaram que não vão às urnas, para não legitimar assim as instituições que pretendem declarar a independência. Eles são cerca de 100 mil, a maior parte vivendo no norte da província ou em enclaves. Ao mesmo tempo, continua a última fase de negociações com a Sérvia sobre o futuro estatuto do Kosovo, sob mediação de Estados Unidos, União Européia e Rússia. No dia 10 de dezembro, os três mediadores apresentarão à ONU um relatório sobre os resultados do processo. O atual primeiro-ministro kosovar, Agim Ceku, disse que pensa em declarar a independência "poucos dias" depois da eleição. Durante a curta campanha de três semanas, os partidos albano-kosovares prometeram o bem-estar econômico da região, a mais pobre dos Bálcãs. Além disso, garantiram que a independência está a um passo de se tornar realidade. Segundo as últimas pesquisas, o Partido Democrático do Kosovo (KDP), de oposição, liderado pelo ex-líder guerrilheiro Hashem Thaçi, será o mais votado, com 31% da preferência dos eleitores. Em segundo lugar, com 29%, segundo as enquetes, viria a Liga Democrática do Kosovo (LDK), do presidente Fatmir Sejdiu. A grande surpresa pode ser o multimilionário da indústria da construção Behgjet Pacolli. A sua Aliança Kosovo Novo (AKR) pode se transformar no terceiro maior partido, com 16% dos votos. As primeiras projeções devem ser divulgadas na noite deste sábado. Os primeiros resultados oficiais devem demorar dois ou três dias.

Tudo o que sabemos sobre:
Kosovo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.