Começam as eleições parlamentares em Montenegro

Um total de 1.130 colégios eleitorais foi aberto neste domingo em Montenegro para que se elejam os 81 deputados que formarão o primeiro Parlamento da nova república independente deste país balcânico, recém separado da Sérvia.No total, foram chamados às urnas 484.830 de seus 620 mil cidadãos, que das 06h às 19h (entre 3h e 16h em Brasília) poderão escolher entre 747 candidatos de sete formações políticas, que representam uma ampla gama de etnias, desde montenegrinos,sérvios e croatas, até albaneses e muçulmanos eslavos.Espera-se que as eleições transcorram com normalidade, da mesma forma que a campanha, que se caracterizou por um tom paliativo e pela ausência de contratempos, com exceção de algumas palavras duras entre os principais candidatos na fase final.O atual primeiro-ministro e líder do partido Democrático dos Socialistas (DPS), Milo Djukanovic, desponta como vencedor deste pleito e, segundo as pesquisas, obterá uma cômoda maioria, embora talvez não absoluta, o que lhe obrigaria a buscar um parceiro entre três partidos da minoria albanesa, ou fazer outras combinações.O grupo opositor "Movimento para as Mudanças", liderado por Nebojsa Medojevic, com apenas dois meses de existência, poderia conseguir cerca de 16% dos votos e é um fator de incerteza nestas eleições.Segundo as pesquisas, Djukanovic pode conquistar 38 das 81 cadeiras do Parlamento montenegrino (45% do voto popular) e necessitará de somente outros três assentos para a maioria absoluta, que alcançará facilmente entre três partidos da minoria albanesa.O Partido Socialista Popular (SNP), encabeçado pelo pouco carismático Predrag Bulatovic, conseguiu menos de 20% das intenções de voto nas pesquisas. Espera-se uma alta participação (situação normal no país) de mais de 70% do eleitorado, mas abaixo dos 86,49% que foram registrados no plebiscito convocado por Djukanovic em 21 de maio, no qual se decidiu a independência de Montenegro em relação à Sérvia.Os primeiros resultados são esperados por volta das 22h (19h em Brasília) do domingo, três horas após o fechamento das urnas espalhadas na última das cinco repúblicas que se separaram paulatinamente da Sérvia nos últimos 16 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.