Começam exercícios militares conjuntos entre EUA e Coreia do Sul

Coreia do Norte ameaçou responder as manobras navais com sua 'potente dissuasão nuclear'

estadão.com.br,

24 de julho de 2010 | 19h28

Porta-aviões USS George Washington atraca no porto de Busan, na Coreia do Sul    

 

SEUL- Os Estados Unidos e a Coreia do Sul começaram na noite deste sábado, 24 (manhã de domingo pelo horário local) seus exercícios militares conjuntos no Mar do Japão, segundo a imprensa sul-coreana, em manobras que provocaram ameaças de uma "potente dissuasão nuclear" da Coreia do Norte. As informações são da agência de notícias AFP.

 

Veja também:

linkCoreia do Norte promete agir contra sanções dos EUA

linkCoreia do Norte ameaça Sul com 'guerra santa'

 

Os exercícios militares conjuntos tem como objetivo "enviar uma mensagem forte" a Pyongyang, de acordo com o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, e o ministro de Defesa sul-coreano, Kim Tae-Young.

 

As manobras, que durarão três dias, poderão dar relevo à determinação dos países de "enfrentar qualquer tipo de ameaça que a Coreia do Norte possa representar".

 

Elas são uma resposta ao naufrágio de um navio de guerra sul-coreano que deixou 46 mortos em março. Uma investigação internacional liderada por Seul concluiu que o afundamento foi provocado por um torpedo norte-coreano, o que Pyongyang nega.

 

No sábado, a Coreia do Norte advertiu que está preparada para uma "guerra santa de represálias", segundo a agência KCNA, que cita a Comissão de Defesa Nacional, presidida pelo número um do regime comunista, Kim Jong-il.

 

Retomando a expressão usada na sexta-feira, a Coreia do Norte voltou a ameaçar responder os exercícios conjuntos com "fortes medidas físicas".

 

"O Exército e o povo da Coreia do Norte responderão legitimamente com sua potente dissuasão nuclear os grandes exercícios de guerra nuclear que serão realizados pelos EUA e as forças títere da Coreia do Sul", afirmou a Comissão de Defesa Nacional, de acordo com a KCNA.

 

Na demonstração de força, Seul e Washington usarão 200 aviões, 20 navios de guerra, 8.000 efetivos e o gigantesco porta-aviões USS George Washington.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.