''Começaremos uma nova era diplomática''

Antanas Mockus, candidato à presidência da Colômbia

, O Estado de S.Paulo

19 de junho de 2010 | 00h00

Se vencer amanhã, o opositor Antanas Mockus aumentará a cooperação da Colômbia com o Brasil. O candidato disse também que tem mais possibilidade do que o rival, Juan Manuel Santos, para normalizar os laços com a Venezuela. "Podemos começar as relações do zero." A seguir, trechos da entrevista concedida ao Estado.

Qual será sua prioridade caso seja eleito presidente?

O principal desafio é confrontar os problemas sociais e o alto índice de desemprego.

Como o sr. pretende melhorar as relações com a Venezuela?

Temos uma grande vantagem sobre Juan Manuel Santos. Podemos começar as relações do zero. Temos de estar conscientes de nossa interdependência. Se for eleito, começaremos uma nova era diplomática.

A qual tema o sr. daria mais atenção nos laços com o Brasil?

À luta contra o narcotráfico. Devemos cooperar mais, especialmente em temas comerciais e energéticos. O desenvolvimento latino-americano é uma meta de todos os povos da região.

Ainda há cerca de 20 reféns das Farc. Qual será a política de seu governo para libertá-los?

Estamos dispostos a facilitar a reinserção de integrantes das Farc na sociedade, como Uribe facilitou a dos paramilitares.

O sr. acredita ser possível exterminar as Farc?

Sim. As Farc sem o narcotráfico ficarão debilitadas. Farei com legalidade o que Uribe fez com as Farc: acuá-las politicamente.

O que o sr. mudaria na relação com os EUA?

As relações com os EUA devem continuar ganhando força, tendo como base o respeito à soberania nacional. Os americanos são nossos aliados mais importantes e manteremos essa relação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.