Comediante é multado após fazer piada com filha de Chávez

Um dos principais humoristas da Venezuela foi punido na terça-feira por "violar a honra, reputação e vida privada" de Rosines Chávez Rodrigues, de 9 anos, filha do presidente da Venezuela, Hugo Chávez. A multa de US$ 18.600 foi imposta à editora Mosca Analfabeta, responsável pela publicação de um editorial de jornal assinado pelo sátiro Laureano Marquez, baseado em um diálogo entre o presidente Chávez e sua filha. No editorial, ele sugere que o governo de Chávez é como um cavalo branco correndo por um caminho desconhecido com o corpo direcionado para a direita, mas com a cabeça voltada à esquerda. Ele também sugeriu que a menina perguntasse a seu pai sobre o investimento do cavalo na nova compra de armas. Em resposta ao artigo, durante uma transmissão de seu programa em rádio e televisão, Olá, presidente, Chávez disse aos ouvintes "que aquele cavalo podia galopar para a esquerda". Marquez, um dos principais humoristas da Venezuela, nega má conduta e argumenta que os US$ 18.600 impostos são usados como uma maneira de censura, para silenciar críticas. Além da multa à editora, Marquez deve pagar outra multa separadamente, em quantia a ser determinada. "Penso que este governo tem um conceito de sociedade em termos de amigos e inimigos", disse Marquez em uma entrevista por telefone à Associated Press. "Governos que vêem a sociedade como aquele, muito sensível a críticas, não as toleram". Defensores da liberdade de imprensa e grupos de direitos humanos têm acusado Chávez de usar o Judiciário e a nova legislação para restringir transmissões e silenciar críticos. O líder venezuelano também enfrentou críticas afiadas da Organização dos Estados Americanos (OEA) por não renovar a licença para a transmissão da estação de TV alinhada à oposição, a Radio Caracas Television.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.