Comemoração de aniversário começa sem presença de Fidel

O presidente cubano, Fidel Castro, não compareceu ao início das comemorações de seu 80º aniversário, no teatro Karl Marx, de Havana, na terça-feira. Apenas deu boas-vindas aos cerca de convidados 1.500 convidados de 80 países, por meio de uma mensagem lida no local."Ao dirigir-me aos senhores, personalidades prestigiosas do mundo, estava diante de um dilema. Não podia reunir todos num pequeno local. Só no teatro Karl Marx cabiam todos os visitantes e eu não estava em condições, segundo os médicos, de enfrentar um encontro tão grande. Optei então por falar a todos desta forma", disse Castro no início da mensagem.Na mensagem, Fidel afirma que o povo dos Estados Unidos não deixará George W. Bush acabar seumandato presidencial. "Enfrentamos um adversário que levou os EUA a um desastre de tal magnitude, que quase certamente o próprio povo americano nãopermitirá que ele conclua seu mandato presidencial", diz a mensagem. O texto foi lido por um locutor num auditório que contou com a presença dos vice-presidentes Carlos Lage e Esteban Lazo, do ministro das Relações Exteriores, Felipe Pérez Roque, e dopresidente da Assembléia Nacional (Parlamento), Ricardo Alarcón, entre outros. O presidente em exercício, Raúl Castro, irmão deFidel, não compareceu.Cuba iniciou os festejos do aniversário de Fidel Castro com uma série de atos programados pela Fundação Guayasamín, que vão até sexta-feira. No sábado, haverá um desfile militar.Autoridades cubanas afirmam que 1.500 convidados de 80 países participarão das celebrações, entre eles os presidentes Evo Morales (Bolívia), René Préval (Haiti) e o recém-eleito Daniel Ortega (Nicarágua). O venezuelano Hugo Chávez, amigo e principal aliado de Fidel, não irá porque disputa a reeleição no Domingo.O aniversário de Fidel ocorreu em 13 de agosto, mas a celebração foi adiada, a pedido dele, para coincidir com o 50º aniversário do dia em que ele e seus seguidores desembarcaram em Cuba no barco Granma, para a revolução que seria vitoriosa em 1959.Fidel foi operado em julho. Sua doença não foi revelada e o líder não é visto em público desde 28 de outubro, data em que apareceu em um vídeo para desmentir rumores sobre sua morte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.