Comércio de diamantes enriquece o Hezbollah, dizem EUA

A guerrilha libanesa do Hezbollah vem lucrando com o comércio de diamantes da África ocidental, em parte graças à extorsão de mercadores de pedras libaneses, acusam diplomatas dos EUA. As alegações, confirmadas por analistas independentes, descrevem um Hezbollah mais organizado, pervasivo e coercitivo do que imaginavam as autoridades.?Uma coisa em que não há dúvida é o financiamento do Hezbollah. Não é nem mesmo um segredo aberto; não há segredo?, diz Larry Andre, chefe-adjunto da missão americana em Serra Leoa, nação africana rica em diamantes. ?Há muita pressão social e extorsão: ?Melhor você apoiar a causa, ou visitaremos sua família lá em casa??, disse Andre, citando entrevistas feitas com mercadores libaneses.Mais de 100.000 libaneses moram na África ocidental, onde compõem o núcleo da classe comercial há mais de um século e administram boa parte do negócio de diamantes. Muitos da comunidade libanesa mantêm fortes laços culturais, familiares e econômicos com o país de origem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.