Olivier Douliery/Pool via AP
Olivier Douliery/Pool via AP

Comissão anuncia mudança no formato dos debates; democratas discutem presença de Biden nos próximos

Em comunicado, a Comissão de Debates apontou ter ficado 'claro que deveria haver uma estrutura adicional ao formato dos debates que faltam, para garantir uma discussão mais ordenada dos assuntos'

Redação, O Estado de S.Paulo

30 de setembro de 2020 | 18h35

WASHINGTON - A Comissão de Debates Presidenciais dos Estados Unidos anunciou nesta quarta-feira, 30, que mudará o formato dos próximos debates entre os candidatos à Casa Branca, Donald Trump e Joe Biden, após o primeiro encontro conturbado na noite de terça-feira.

Após o encontro em que sobraram ataques gratuitos e interrupções frequentes de Trump nas falas do adversário, democratas disseram que o ex-vice-presidente não deveria se comprometer a participar dos demais debates.

Em comunicado, a Comissão de Debates apontou ter ficado "claro que deveria haver uma estrutura adicional ao formato dos debates que faltam, para garantir uma discussão mais ordenada dos assuntos".

O debate de terça-feira, realizado na cidade de Cleveland (Estado de Ohio), foi marcado por constantes interrupções de Trump, do Partido Republicano, a Biden, do Democrata, que chegou a perder anotações e insultou o atual presidente.

Não apenas o formato, mas a condução do moderador, o jornalista Chris Wallace, foram alvos de críticas, já que muitos analistas consideraram que não foram abordados assuntos de interesses para os eleitores.

A Comissão de Debates informou que pretende trabalhar com as campanhas dos dois candidatos, antes da realização dos próximos encontros, para entrar em acordo sobre uma série de regras que fomentem o debate.

A entidade, apesar das críticas ao moderador, que é âncora da Fox News, aproveitou para agradecer a Wallace pelo "profissionalismo e habilidade" com que conduziu o debate.

Para Entender

Eleições nos EUA: entenda o processo eleitoral americano

Saiba como funcionam bipartidarismo, prévias, escolha dos vices, colégio eleitoral, votos, apuração e pesquisas na disputa presidencial dos Estados Unidos

Ainda não foram divulgados detalhes sobre quais mudanças poderão ser feitas no atual formato nos debates. A princípio, o próximo está marcado para quarta-feira, em Salt Lake City, em Utah, mas envolvendo os candidatos a vice: o republicano Mike Pence, e a democrata Kamala Harris.

Não é esperado que Trump e Biden se reencontrem até 15 de outubro, em Miami, Flórida. Depois disso, haverá outro debate no dia 22, em Nashville, no Tennessee. As eleições ocorrerão em 3 de novembro. 

Participação nos próximos

Enquanto isso, democratas avaliam se Biden deveria se comprometer a participar dos próximos debates. O senador de Delaware Chris Coons, um importante interlocutor de Biden, disse ao site Politico que se o objetivo de um debate é expor as mensagens dos candidatos para quem assiste aos encontros, o de terça-feira “falhou no teste”. “Foi muito difícil entender o que estava sendo dito e o presidente Trump mostrou não apenas desrespeito ao moderador, mas ao povo americano”, disse.

A campanha do candidato, no entanto, garantiu que ele participará dos próximos encontros.

O ex-consultor sênior do Comitê de Campanha do Congresso Democrata Simon Rosenberg afirmou que o partido tem de pressionar para estabelecer novas regras durante os debates. “Biden e Harris deveriam continuar debatendo. Mas eles devem trabalhar para garantir que Trump não possa repetir sua performance (de terça-feira)”, disse.

Os assessores de Trump elogiaram o modelo e só criticaram o moderador. “Chris Wallace agia com muita frequência para salvar Biden de si mesmo”, disse ao Politico o porta-voz da campanha de Trump, Tim Murtaugh. 

De acordo com assessores do presidente, ele saiu “exultante” com seu desempenho durante o encontro. Alguns republicanos, porém, consideraram Trump “agressivo demais”./COM AFP e EFE  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.