Comissão britânica critica relatório sobre armas de Saddam

Uma influente comissão parlamentar britânica criticou o governo do primeiro-ministro Tony Blair por per permitido a publicação de um dossiê sobre as supostas armas iraquianas de destruição em massa sem, primeiro, pedir a revisão dos dados pelos serviços secretos do país.A Comissão Parlamentar de Segurança e Inteligência alegou que o documento - "Iraque: Sua Infra-Estrutura de Acobertamento, Mentiras e Intimidação" - não recebeu endosso dos chefes do serviço secreto antes de ser divulgado, em fevereiro último.O documento, com supostas evidências sobre os programas de armas químicas e biológicas de Saddam Hussein, causou constrangimento ao governo britânico após a revelação de que alguns trechos foram copiados de uma tese universitária publicada na Internet e elaborada há mais de uma década, por um estudante americano.A Comissão Parlamentar de Segurança e Inteligência supervisiona o trabalho dos serviços secretos britânicos, mas é subordinada a Blair, e não ao Parlamento da Grã-Bretanha. "Garantiram a nós que os sistemas foram readequados agora para garantir que isso não acontecerá mais."Os soldados americanos e britânicos que participaram da invasão do Iraque não conseguiram encontrar as armas de destruição em massa supostamente mantidas pelo deposto regime de Saddam Hussein. Os armamentos foram o principal argumento dos governos de Estados Unidos e Grã-Bretanha para justificar a invasão militar do Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.