Comissão confirma vitória de aliados de ex-premiê na Tailândia

Com 80% da apuração concluída, partido de Shinawatra conquista maioria das cadeiras do Parlamento

Efe,

23 de dezembro de 2007 | 13h36

Com 80% dos votos apurados, a Comissão Eleitoral da Tailândia confirmou a vitória do partido criado pelos aliados do ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra nas eleições legislativas tailandesas, com 230 das 480 cadeiras do Parlamento nacional. Apesar da vitória, o Partido do Poder do Povo (PPP), liderado pelo veterano e polêmico político de extrema direita Samak Sundaravej, não alcançará, segundo esses dados, a maioria absoluta, e por isso será obrigado a forjar uma coalizão com outras legendas para poder governar. "Definitivamente será um governo de coalizão. Vamos negociar com os partidos que têm um programa político semelhante ao nosso", disse Surapong Suebwonglee, secretário-geral do PPP. De acordo com a lei eleitoral do país, o partido que conseguir o maior percentual de votos tem prioridade para estabelecer um governo de coalizão mediante alianças com partidos de menor representatividade parlamentar. Em segundo lugar, sempre de acordo com os resultados provisórios, segue o Partido Democrata, liderado por Abhisit Vejjajiva, e que teria conseguido 161 cadeiras. "Estamos na segunda posição, e a tarefa de formar o governo cabe ao partido que conseguir o maior número de cadeiras", declarou Vejjajiva, na sede do partido. Em terceiro lugar, com 40 cadeiras, está o partido Nação Tailandesa, liderado pelo ex-primeiro-ministro Banharn Silapa-Archa, considerado por um amplo setor da população um dos principais culpados pela crise financeira que explodiu no país em meados de 1997. O primeiro-ministro interino, general Surayud Chulanont, reiterou após o fechamento dos colégios eleitorais que a votação transcorreu em um clima de normalidade, embora tenha reconhecido que a Comissão Eleitoral ainda deverá examinar dezenas de denúncias de fraude eleitoral, apresentadas em sua maior parte contra candidatos do PPP. Cerca de 45 milhões de tailandeses foram convocados às urnas para escolher entre 5 mil candidatos de 39 partidos políticos os integrantes do novo Parlamento do país, dissolvido há 15 meses pelos militares por causa de um golpe do Estado. A Comissão Eleitoral deve divulgar um novo boletim com resultados provisórios por volta das 15h (de Brasília).

Tudo o que sabemos sobre:
Tailândiaeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.