Comissão do 11/9 diz estar surpresa com informações do livro de Woodward

Membros da comissão parlamentar que apura os atentados de 11 de Setembro classificaram neste domingo como alarmante a revelação de que o então chefe de inteligência do governo americano alertou membros da administração sobre os riscos iminentes de ataque. A reunião teria ocorrida em julho de 2001, dois meses antes dos atentados, informou o New York Times.Os detalhes do encontro entre o ex-diretor de inteligência George J. Tenet e a então conselheira de segurança nacional, a hoje secretária de Estado Condoleezza Rice, estão no bombástico novo livro do editor assistente do Washington Post Bob Woodward, State of Denial (Estado de Negação, em tradução livre). O jornalista foi um dos repórteres que trouxe à tona o escândalo Watergate.De acordo com o livro, Tenet teria procurado Rice em 10 de julho de 2001 para tentar convencê-la - sem sucesso - a agir diante das evidências de que a Al-Qaeda preparava um ataque em solo americano. A revelação da informação pegou os membros da comissão bipartidária que investiga os ataques de surpresa. Alguns chegaram a questionar se a omissão de Rice e Tenet foi proposital.Em entrevistas feitas pelo NYT, membros da comissão disseram nunca ter ouvido falar sobre a reunião, apesar de horas de questionamento público e privado com Rice e Tenet. Segundo os políticos, grande parte das perguntas dirigidas aos dois funcionários da administração Bush focaram na maneira como a Casa Branca trabalhou com os informes de ameaças terroristas no período anterior aos ataques de setembro de 2001."Nada disso foi nos passado em horas de entrevistas privadas, inclusive entrevista sob juramento", disse Timothy J. Roemer, um democrata membro da comissão. "Estou furioso com isso", completou.Outro democrata, o ex-promotor do caso Watergate Richard Ben-Veniste, disse que a comissão só ficou sabendo da reunião através do livro de Woodward. "Isto era com certeza algo sobre o que gostaríamos de ter sido informados", disse. Ele acrescentou ter pressionado fortemente Rice e Tenet a revelarem tudo o que foi conversado com o Executivo sobre ameaças terroristas antes dos ataques de 11 de Setembro.Resposta da Casa BrancaA Casa Branca reagiu às críticas dos membros do comitê desmerecendo as informações publicadas no livro de Woodward. Dan Bartlett, um conselheiro próximo a Bush, confirmou que a reunião ocorreu, mas disse que os relatos de Rice sobre o encontro não mencionam os supostos alertas de Tenet. "Isso realmente não bate com as lembranças da secretária Rice sobre o encontro", disse ele em entrevista ao programa Face the Nation, da "CBS"."Isto nos deixou confusos, porque não acreditamos ser uma informação precisa", completou.Embora passagens do livro sugiram que Tenet era uma das principais fontes de Woodward, o ex-diretor de inteligência não quis comentar o assunto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.