Comissão do 11/9 menciona o escândalo Lewinsky

O relatório final da Comissão do 11 de Setembro afirma que não há evidências de que o ex-presidente Bill Clinton tenha ordenado bombardeios contra Osama bin Laden para distrair a atenção que, no momento, recaía sobre seu caso com a estagiária Monica Lewinsky. No entanto, o documento também menciona que o escândalo sexual, associado a outros assuntos polêmicos, afetaram discussões posteriores sobre o uso de força bélica contra o líder terrorista.Em 1998, os Estados Unidos lançaram mísseis contra supostos grupos associados a Bin Laden no Sudão e Afeganistão, como resposta aos ataques contra as embaixadas norte-americanas no Kênia e na Tanzânia. Na época, o governo Clinton recebeu duras críticas de que o bombardeio havia sido uma reação demasiadamente agressiva.

Agencia Estado,

24 de julho de 2004 | 07h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.