Comissão Eleitoral do Kosovo confirma manipulação nas eleições

Votação deverá ser repetida em cinco distritos em janeiro; oposição havia denunciado fraudes

Efe

16 de dezembro de 2010 | 18h24

Oposição não reconhece o resultado; nova votação deve ocorrer.

 

PRISTINA - A Comissão Eleitoral do Kosovo confirmou nesta quinta-feira, 16, em Pristina a manipulação em massa das recentes eleições parlamentares em cinco distritos e ordenou a repetição do pleito nesses locais no dia 9 de janeiro.

 

Um painel de dez juízes confirmou que os votos foram totalmente manipulados nos municípios de Skenderaj, Gllogovc e Decani, assim como parcialmente em Malishevo e Lipjan. As duas primeiras cidades são redutos históricos do Exército de Libertação do Kosovo (UCK), liderado pelo atual primeiro-ministro, Hashim Thaçi.

 

Já região de Decani é curral de outro ex-líder do UCK, o ex-primeiro-ministro Ramoush Haradinaj, preso no Tribunal de Haia acusado de crimes de guerra. Segundo a investigação da Comissão, milhares de assinaturas foram falsificadas nesses distritos e foram emitidos votos em nome de pessoas mortas. Além disso, muitos eleitores foram chantageados e ameaçados.

 

O Partido Democrático (KDP), de Thaçi, ganhou as primeiras eleições parlamentares desde a independência da Sérvia em 2008, com 33,5% dos votos, isso contando os manipulados. A Liga Democrática do Kosovo (LDK), que obteve 23,6%, não reconhece os resultados, já que o KDP recebeu um apoio eleitoral em massa nessas regiões.

 

O líder da LDK, Isa Mustafa, exigiu na quarta-feira a repetição completa do pleito. "Se o governo for criado de acordo com estas eleições, então não terá nenhuma legitimidade", disse.

 

Só depois da repetição do voto será conhecida a composição final do Parlamento, de 120 cadeiras, que será o encarregado de escolher o novo presidente kosovar.

Tudo o que sabemos sobre:
KosovoeleiçõesfraudeThaçi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.