Damir Sagolj/Reuters
Damir Sagolj/Reuters

Comissão Eleitoral pede dissolução de partido governante na Tailândia

Em escândalo de financiamento ilegal, partido teria recebido mais fundos que o permitido

EFE

12 de abril de 2010 | 11h09

BANGCOC - A Comissão Eleitoral da Tailândia recomendou hoje ao Tribunal Constitucional a dissolução do Partido Democrata, o principal da coalizão que governa o país, por um caso de financiamento ilegal.

 

A comissão decidiu, por cinco votos a favor e quatro contra, levar o caso à Promotoria e pedir no Tribunal Constitucional a suspensão do partido, chefiado pelo primeiro-ministro, Abhisit Vejjajiva.

 

Um deputado do partido opositor Puea Thai, dos aliados do ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra, denunciou o Partido Democrata perante a comissão por receber supostamente mais fundos que o permitido de uma pessoa física em 2005.

 

Se o recurso prosperar, o Partida Democrata, um dos de maior destaque na arena política tailandesa, desaparecerá e os membros de seu Executivo ficarão inabilitados para desempenhar funções públicas durante cinco anos.

 

A resolução da comissão chega no momento em que dezenas de milhares de pessoas se manifestam em Bangcoc para forçar a realização de eleições antecipadas.

Tudo o que sabemos sobre:
TailânidaAbhisit Vejjajiva

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.