Comissão Europeia critica assentamentos de Israel

A política israelense de colonização judaica nos territórios ocupados sufoca a economia palestina e torna a Autoridade Nacional Palestina (ANP) cada vez mais dependente de ajuda externa, denunciou hoje a Comissão Europeia. Em uma declaração incomumente dura, o órgão executivo da União Europeia (UE) observou que "são os contribuintes europeus que arcam com a maior parte do preço dessa dependência".

AE-AP, Agencia Estado

06 de julho de 2009 | 09h11

De acordo com a comissão, a desapropriação de terras férteis para assentamentos judaicos, as estradas que servem apenas aos colonos e os postos militares espalhados pela Cisjordânia fazem com que a economia palestina seja sufocada. Como consequência disso, o governo palestino se torna mais dependente de ajuda externa. A UE é um dos principais doadores da ANP. Somente neste ano, o bloco já contribuiu com mais de 200 milhões de euros para ajudar a cobrir o déficit orçamentário palestino.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelComissão Europeiaassentamentos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.