Comissão europeia pede mudanças nos tratados da UE

O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, pediu mudanças fundamentais nos tratados da União Europeia neste sábado, afirmando que o bloco precisa de um "salto de qualidade" em termos de integração.

AE, Agência Estado

01 de setembro de 2012 | 11h44

Em um discurso em uma conferência da Escola de Direito de Yale em Haia, na Holanda, Barroso disse que a UE enfrenta um momento decisivo, em função da crise econômica, "que mostrou os limites das decisões individuais dos países".

"A Europa e os princípios dos tratados precisam ser renovados. Nós precisamos de mais integração, e o corolário de mais integração precisa ser mais democracia. Essa renovação europeia precisa representar um salto de qualidade e permitir que a Europa enfrente os desafios do mundo de hoje", afirmou Barroso.

Juntamente com o presidente do Conselho Europeu, Herman van Rompuy, o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, e o presidente do grupo de ministros de Finanças da zona do euro (Eurogrupo), Jean-Claude Juncker, Barroso foi encarregado de desenvolver um projeto para a maior integração regional da UE até o fim deste ano.

Entretanto, até agora muitas autoridades europeias estão relutantes em entrar no polêmico debate de alterar os tratados básicos da UE. Tentativas anteriores de mudanças, que exigem a aprovação dos 27 países do bloco, levaram anos para serem aprovadas e tiraram o foco dos esforços para melhorar a economia da região.

Neste sábado, Barroso disse que está claro que a união monetária só pode ser protegida se os membros do bloco concordarem em ceder parte de sua soberania. "A crise deixou claro que nós precisamos não só completar a união econômica e monetária, mas também buscar uma maior integração econômica e uma união política e democrática mais profunda, com os mecanismos apropriados de responsabilidades". As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.