Comissão italiana propõe revisão em livros de História

Uma recomendação aprovada na comissão de cultura da Câmara dos Deputados da Itália prevê uma revisão geral dos livros didáticos de História, com o objetivo de torná-los mais ?objetivos? e ?respeitosos da verdade histórica?. A idéia de trocar o material didático, tornando-o afinado com a ideologia do atual governo conservador, tem vários anos, mas esta é a primeira vez que uma comissão parlamentar aprova a proposta. No entanto, o ministro para Relações com o Parlamento, Carlo Giovanardi, e o próprio presidente da Comissão de Cultura, Ferdinando Adornato, destacaram o caráter ?inaplicável? da recomendação dos parlamentares.A proposta, dirigida à ministra da Educação, Letizia Moratti, para que ?vigie o que se ensina nas escolas?, provocou revolta na oposição, que lembrou que apenas durante o fascismo a Itália teve textos oficiais de História.Fabio Graragnani, da Forza Italia, partido do premiê Silvio Berlusconi e que apresentou a moção e a fez aprovar pela maioria de centro-direita da comissão, nega qualquer intenção de censurar os livros, e fala apenas em ?garantir a liberdade dos estudantes? e modernizar o material didático, parte do qual ?data de mais de trinta anos, quando a visão de mundo era diferente?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.