Comissão pede anulação parcial de votos no Afeganistão

A Comissão de Reclamações Eleitorais do Afeganistão publicou hoje um relatório sobre as alegações de fraude nas eleições presidenciais de 20 de agosto. A entidade, apoiada pela Organização das Nações Unidas (ONU), ordenou que se "invalide uma certa porcentagem de votos de cada candidato". Ainda não está claro se isso pode forçar um segundo turno. O documento vem à tona dois meses depois do pleito. Na ocasião, houve acusações massivas de fraudes e intimidação no processo eleitoral.

AE-AP, Agencia Estado

19 de outubro de 2009 | 11h33

Segundo a Associated Press, foram impugnados "centenas de milhares de votos". Funcionários estrangeiros disseram que a comissão que investiga fraudes determinou que o total alcançado por Karzai foi menor que 50% dos votos mais um, o que levaria ao segundo turno. As conclusões, porém, precisam ainda ser referendadas por uma outra comissão eleitoral, a qual já questionou anteriormente alguns dos pontos levantados pelo painel apoiado pela ONU.

As conclusões da comissão que investiga fraudes são cruciais para a decisão sobre se haverá ou não um segundo turno. O presidente Hamid Karzai disputa a permanência no cargo e liderava a apuração. Porém, caso muitos votos sejam anulados, pode haver um novo pleito entre ele e o ex-ministro das Relações Exteriores Abdullah Abdullah. Com informações da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.