Comissão que investiga conflito no Líbano ouve Olmert

O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, depõe nesta quinta-feira à Comissão Winograd, que investiga o conflito do ano passado com a milícia do Hezbollah, no Líbano.Conforme informou a rádio pública israelense, Olmert é a última testemunha a se apresentar à comissão, e deverá dizer que Israel saiu vitorioso.Ainda conforme antecipou a emissora, o primeiro-ministro deve criticar as gestões de seus antecessores, o trabalhista Ehud Barak, que tirou as tropas do Líbano em maio de 2000, e o nacionalista Ariel Sharon.Analistas políticos dizem que Olmert se preparou exaustivamente para a sessão, já que seu futuro político depende das conclusões da comissão.A imprensa está proibida de acompanhar a sessão, por motivos de segurança.Até agora, mais de 70 pessoas falaram à Comissão Winograd, que investiga o grau de preparação das forças armadas israelenses na fronteira com o Líbano, o processo de decisão político que conduziu à invasão e a gestão do conflito pelo Exército e pelo Governo.ConfrontoIsrael enfrentou o Hezbollah, entre 12 de julho e 14 de agosto de 2006. O confronto deixou mais de mil de mortos entre os libaneses e 150 israelenses, além de milhares de feridos dos dois lados da fronteira.Um relatório divulgado na quarta-feira à noite pelo "Canal 2" da televisão israelense afirma que 40% dos mais de 100 soldados que morreram em território libanês, durante o conflito, foram vítima do fogo de seus próprios companheiros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.